Up

A Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica (DHGNA) ou Esteatose Hepática ou “Gordura no Fígado” é considerada uma doença epidêmica na atualidade. Caracterizada pelo acúmulo de gordura dentro dos hepatócitos. Se não for tratada pode evoluir para esteato-hepatite, fibrose e cirrose avançada, podendo chegar ao estágio final de desenvolvimento da doença com a consequente necessidade de transplante hepático.

Está associada ao excesso de peso, obesidade central, resistência à insulina, diabetes tipo 2 e dislipidemias.

 

Pesquisas mostram que indivíduos que apresentam Esteatose Hepática possuem consumo elevado de gordura saturada e carboidratos simples, associado à ingestão insuficiente de fibras, vitaminas, minerais e gorduras insaturadas.

O tratamento de base é a mudanças no estilo de vida – ter estilo de vida saudável e ativo – com adequação da alimentação e do peso corporal e prática regular de exercício físico.

ALIMENTAÇÃO:

Atenção à qualidade e quantidade dos alimentos. Adequação do peso com restrição energética (redução total de calorias) para redução do peso, redução da quantidade de carboidratos totais (evitar principalmente refinados e simples, sucos de frutas) e da gordura de origem animal; aumento do consumo de fibras (alimentos integrais, verduras, legumes) e de alimentos fontes de Vitamina C, vitamina E e Vitamina A pelo alto potencial antioxidante.

Reduzir o consumo de alimentos fontes de gorduras saturadas ( óleo de coco, manteiga, bacon, carnes “gordas”, queijos “gordos”, leite integral); preparações fritas, empanadas e cremosas.

Aumentar o consumo:

– Gordura Monoinsaturada; azeite, oleaginosas, (castanha do Pará, nozes, amêndoas), abacate

– Omega 3: chia, linhaça, peixes como atum, salmão, sardinha, bacalhau

– Vitamina E: vegetais verde-escuros, nas sementes oleaginosas (nozes, castanha do Pará), nos óleos vegetais e no germe de trigo, gema de ovo

– Vitamina C: acerola, goiaba, caju, kiwi, morango, laranja, limão, mamão, fruta do conde, brócolis, pimentão, pimenta vermelha couve, couve-flor, espinafre, ervilha, repolho roxo, alface, tomate, mandioca, batata

– Vitamina A e betacaroteno: gema de ovo, leite, queijos (prefira minas, cottage, ricota), salsa, batata doce, escarola, cenoura, folhas de mostarda, bertalha, pimentão vermelho, couve, brócolis, abóbora, espinafre, manga, mamão, tomate

 

 

Literatura:

CRISPIM, F G S. et al.. Consumo alimentar dos portadores de Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica: comparação entre a presença e a ausência de Esteatohepatite Não Alcoólica e Síndrome Metabólica. Rev. Nutr., Campinas, v.29, n.4, p.495-505, jul./ago., 2016

UED, F V, e WEFFORT, V R. Vitaminas antioxidantes no contexto da doença hepática gordurosa não alcoólica em crianças e adolescentes obesos. Rev Paul Pediatr , 2013, v.3, n.4, p.523-30.


ABOUT THE AUTHOR
Cris Perroni

Cris Perroni

Nutricionista Clínica especialista em Obesidade e Emagrecimento, Nutrição Esportiva e Performance Humana. Consultora na área de nutrição. Elaboração de Texto e Assessoria em Nutrição para o Site Eu Atleta. Nutricionista da Assessoria Esportiva de Corrida Equipe Filhos do Vento