Up

A necessidade de controle de peso também acomete atletas sejam eles de alto rendimento ou amadores ambiciosos. É muito mais fácil ingerir “calorias” do que “gastar”. Subestimamos a ingestão alimentar e superestimamos o gasto energético na prática esportiva. E mesmo para atletas que possuem alto gasto energético, a ingestão de alimentos com alta densidade energética (fritos, cremosos, gratinados) desequilibra a “balança”.

A elaboração do programa alimentar de um atleta que precisa reduzir o peso pode ter vários objetivos como chegar a um peso pré determinado para disputar uma competição, por questões estéticas, para minimizar os efeitos do excesso de peso à saúde (problemas articulares, resistência à insulina, diabetes, hipertensão) e melhorar a performance.

Dietas restritivas, monótonas e de muito baixo valor energético podem causar fome, alterações no comportamento como mau humor, irritabilidade, distúrbios alimentares, alem de fadiga, redução da concentração e foco, carências nutricionais (anemia, osteopenia, cãibras), perda de massa muscular, alterações hormonais, redução do sistema imunológico, overtraining, e maior risco de lesão. O ideal é iniciar o tratamento para perda de peso no início da temporada.

Algumas orientações:

  • A redução de peso semanal deve estar entre 500g a 1kg, não deve exceder 2% do peso corporal
  • A redução da ingestão calórica deve ser 500 a 700 calorias/dia
  • Quanto maior a variedade de alimentos maior a chance de atingir as recomendações de macronutrientes (carboidratos, lipídeos e proteínas), micronutrientes (vitaminas e minerais) e fitoquímicos. Alimentos coloridos têm alto potencial antioxidante.
  • Em modalidades com categoria por peso, o atleta não deve se distanciar muito do peso máximo/ limite da categoria. É muito comum práticas inadequadas para rápida redução de peso: dietas muito restritivas, fazer exercício com casaco, fazer sauna (induzir a desidratação para falsa perda de peso) aumentando o risco à saúde, de desidratação e redução da performance.
  • Na elaboração do programa alimentar para redução de peso é fundamental levar em conta tipo/intensidade/volume/ duração de treino.
  • Periodizar a dieta para evitar o efeito platô e manter o atleta sob estresse por muito tempo. Pode variar a composição nutricional e/ou a quantidade de calorias ingeridas. Alimentação de um atleta é continuidade e não só pré/ intra/ pós treino.

ABOUT THE AUTHOR
Cris Perroni

Cris Perroni

Nutricionista Clínica especialista em Obesidade e Emagrecimento, Nutrição Esportiva e Performance Humana. Consultora na área de nutrição. Elaboração de Texto e Assessoria em Nutrição para o Site Eu Atleta. Nutricionista da Assessoria Esportiva de Corrida Equipe Filhos do Vento