Up

Fruta exótica e colorida, a pitaia vem fazendo sucesso no verão. A nutricionista Cristiane Perroni, especialista do Eu Atleta, explica que ela pertence ao grupo das frutas tropicais, da família Cactaceae, com várias espécies, sendo três principais, uma com casca rosa e branca por dentro, outra com casca rosa e vermelha por dentro e a com casca amarela e branca por dentro.

Também conhecida como fruta do dragão, a pitaia tem sabor doce e suave, paladar similar entre kiwi e melão, com a polpa constituindo 70 a 80% do fruto. Pode ser consumida “in natura” ou transformada em produtos industrializados, como geleias, sucos, sorvetes, caldas e doces.

A casca pode ser utilizada para produção de corante natural (pigmento betalaína) na indústria de alimentos substituindo corantes sintéticos, reduzindo o impacto causado pelo descarte da casca. Também é utilizada como agente espessante em cremes hidratantes. Estudos estão sendo realizados para caracterização da composição nutricional das diferentes espécies e regiões cultivadas, mas de uma forma geral apresentam:
– grande conteúdo de água
– Alto teor de carboidratos (principalmente glicose e frutose)
– Baixo teor de proteínas e lipídeos (sendo 48% composto por de ácido linoleico – ômega 6)
– Elevado teor de fibras (100 g do fruto in natura fornece cerca de 11,35 g de fibras – recomendação de ingestão de 25 a 30g de fibras diária)
– Vitaminas do complexo B (B1- Tiamina, B2 – Riboflavina, B3 – Niacina), Vitamina C e vitamina E
– Compostos bioativos: flavonóides (betacaroteno, licopeno, antocianinas e betalaínas)
– Minerais: elevado teor de potássio e cálcio, magnésio e zinco

Benefícios à saúde:

– Regularização da motilidade e equilíbrio da flora intestinal
– Alto potencial antioxidante: quanto maior a variedade e atuação em conjunto de antioxidantes (vitamina C e E, flavonoides) maior potencial para o combate aos radicais livres; redução do risco e progressão de doenças cardiovasculares, câncer, hipertensão arterial e envelhecimento precoce.

As células e tecidos do nosso corpo estão constantemente sofrendo agressões causadas pela formação dos radicais livres e espécies reativas de oxigênio (EROS), os quais são produzidos durante o metabolismo normal do oxigênio e agressões externas (poluição, fumo, estresse, má qualidade alimentar…). O nosso corpo possui mecanismos naturais de defesa antioxidante (ação de enzimas) e também de alimentos com potenciais antioxidantes.

O consumo de alimentos coloridos e da variedade de grupos alimentares contribui para ingestão de diferentes substâncias antioxidantes.

– estímulo ao sistema imunológico
– manutenção dos ossos e dentes, prevenção da osteoporose
– participação na contração muscular


ABOUT THE AUTHOR
Cris Perroni

Cris Perroni

Nutricionista Clínica especialista em Obesidade e Emagrecimento, Nutrição Esportiva e Performance Humana. Consultora na área de nutrição. Elaboração de Texto e Assessoria em Nutrição para o Site Eu Atleta. Nutricionista da Assessoria Esportiva de Corrida Equipe Filhos do Vento